.
.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Catalogando e cantando

 Escolhe o esmalte meticulosamente
Por ver razões na cor, que irão se explicar
Pra tudo funcionar simplesmente
Como gesto espontâneo, invulgar
E depois da cor
O que virá?
Dentro do Mesmo Time - Nando Reis


Sim, a "pessoa" aqui tem mania de planejamento e organização.

Aproveitando o início de ano, decidi colocar em prática uma ideia que tive há algum tempo.

Logo que tive a ideia de fazer um catálogo, pensei em comprar aqueles displays (mostruários) de plástico que vendem em lojas especializadas. Logo descobri que não estava disposta a pagar o que pediram por eles. Então, pensei em comprar o display das lojas on line chinesas, mas demoraria uma eternidade pra chegar aqui em casa. Por fim, decidi improvisar e comprei colherinhas descartáveis, que serviram muito bem ao propósito..


Era  uma tarde chuvosa e tranquila quando iniciei os trabalhos: esmaltei cada colherzinha com uma cor diferente, escrevendo a marca do esmalte e o nome da cor do bendito no cabo de cada colherzinha.

Eu costumo guardar meus esmaltes em caixas, separados por cor, o que facilitou as coisas.
Modéstia às favas, minha coleção tem algumas cores "tão lindas que até dá vontade de comê-las..."
(Salve Jorge Mautner...)

 


















Depois de seco, foi a hora de furar o cabo das colheres ( usei uma agulha aquecida) e passar o fio de linha, para formar um conjuntos com cores da mesma gama.
Deu trabalho, mas foi divertido. Lúdico, eu diria. 

Ao final da tarde, tudo estava organizado e catalogado. O "inventário" totalizou 137 vidros de esmalte,  algumas cores bem parecidas  entre si... Inevitável encarar meu lado consumista e perguntar "qual é, heim?"
Claro que o número acima inclui os esmaltes que foram criados por mim, o resultado das misturas que fiz, pois tenho verdadeiro pavor de esmalte encalhado, como sabem.  Mesmo assim, tem cores que estão meio paradas, questão sazonal.

Enfim, missão cumprida. O catálogo irá ajudar  a encontrar  cores específicas para uma produção em nail art, além de impedir que eu compre cores muito semelhantes às que já tenho. Aliás,  compras estão fora de cogitação.  Penso até acho em desapegar de alguns vidros.








Foi um exercício interessante. Aprendi que não precisa muita cor do lado de fora quando se é colorido por dentro. 

Ter menos e viver mais é o meu mantra pra 2015.

:o)



Buenas, era isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário